Crítica Cinematográfica: A onda (“Die welle”)

by

Pra quem adora seguir as ondas que aparecem..

Pra quem adora seguir as ondas que aparecem..

Haveria a possibilidade do nazismo e/ou fascismo retornarem à voga entre a juventude contemporânea? Movimentos autocráticos com seus perfis totalitaristas e de caráter fortemente repressivo alcançariam adeptos na geração acostumada à liberdade de escolha e de expressão?

Esses são os questionamentos principais que este filme alemão nos traz. construído de forma sensível e envolvente, o filme conta a experiência do professor Rainer Wenger, o típico professor “boa praça”, roqueiro e com um claro posicionamento político anarquista que acaba tendo que ministrar uma disciplina eletiva sobre “Autocracia”. Querendo adotar uma metodologia mais atraente e que possibilitasse maior do conteúdo, Rainer resolve desenvolver uma experiência comportamental com os alunos, baseada em uma estrutura autocrática.

Se no momento inicial os alunos estranham a experiência, o carisma de Rainer e a oportunidade de se sentirem parte de um grupo faz com que os jovens incorporem cada vez mais as características próprias deste tipo de regime. A unidade nas roupas, a criação de códigos próprios de identificação e o estabelecimento de laços afetivos acabam transformando o grupo (nomeado de “A Onda”) em algo maior para seus integrantes.

O grande mérito do filme é o enfoque das relações humanas e da forma como o aparecimento da “Onda” influi na vida dos personagens. Desde o professor anarquista que acaba se tornando o líder de um movimento autocrático até o aluno que encontrou no grupo uma saída para o abandono afetivo em que vivia. A complexidade dos personagens e os conflitos que eles vivenciam nos mantém atentos e impactados ao acompanhar a ascensão e o descontrole do movimento.

“A Onda” não é um filme para ser exibido na “Sessão da Tarde” ou na “Tela Quente”. É um filme para ser visto, refletido e discutido. É a representação de um microcosmo que recria/simula relações que pertencem não só a nosso passado, como ainda hoje buscam voltar à evidência.

Cinema de primeira qualidade!

Vale a pena ver!

Anúncios

3 Respostas to “Crítica Cinematográfica: A onda (“Die welle”)”

  1. DU Says:

    nunca vi, mas depois dessa descrição, não seria má ideia vê-lo…
    a onda, assim como todos os filmes que geram algum pensamento e discussão são mais que raros, e válidos.

  2. Fábio Cardoso Says:

    Olá!
    Estamos com uma promoção do filme A Onda em nosso site.

    É só deixar um comentário para concorrer a uma par de ingressos para o filme.

    http://descolando.obaoba.com.br/blogs/promocoes/

    Abs!
    Fábio
    Equipe descolando!

  3. Guttwein Says:

    Esse é basicamente o segundo filme com o mesmo gênero; tem um que é da década de 80(finalzinho), e que tem o mesmo nome. Basicamente um relançamento.

    Esse eu ainda não assisti, só o antigo. E se gostei do outro, devo gostar desse tbm…é uma história e tanto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: